Dia da Mãe – Carta de um filho especial

Dia da Mãe – Carta de um filho especial

Este post é uma homenagem não só às mães de crianças disléxicas, mas também a todas as mães de crianças diferentes.
Os nossos filhos são especiais e nós estamos de parabéns pela coragem, dedicação e carinho com que os ajudamos a crescer.

Querida Mãe,
Gosto quando me sento ao teu colinho e lemos juntos;

Gosto quando fazemos a terapia sem gritos, com calma e até de forma divertida;

Gosto quando não te zangas comigo quando tudo se confunde na minha cabeça e não me lembro de nada;

Gosto quando não desesperas quando respondo tudo ao lado, depois de já termos estudado aquela matéria vezes sem conta;

Gosto quando não desistes de mim e depois de um dia de trabalho bem comprido tens tempo para me ajudar;

Gosto que me ajudes todos os dias a ficar mais forte e a ter mais confiança em mim;

Gosto que me digas que eu vou ser um adulto de sucesso;

Gosto que me relembres todos os dias que eu tenho capacidades espectaculares por ter dislexia;

Gosto que me digas todos os dias que sou capaz;

Gosto que inventes brincadeiras giras para eu aprender;

Gosto da nossa ligação única e especial;

Gosto que tenhas orgulho em mim por ser diléxico e que expliques a toda a gente o que é a dislexia- sem vergonha;

Gosto da tua força que permite que nunca deixes de acreditar em mim, que faz com que nunca desistas ( mesmo quando estás lá quase) e que me ajudes a ultrapassar o medo de ser diferente;

Eu sei, mãe, que nem sempre achas que estás à altura. Às vezes o cansaço extremo, a frustração e o medo fazem-te sentir uma culpa imensa de não estares a fazer o suficiente. Confia em ti, Mãe! Estás a fazer um óptimo trabalho, porque estás a dar o melhor de ti.

Às vezes gritas, Mãe, e perdes a paciência. Tu ensinaste-me que a perfeição não existe. Não queiras ser perfeita, Mãe. Não gastes todas as tuas energias em mim. Eu gosto de ti descontraída para fazeres outras coisas e livre de preocupações constantes.

Não te preocupes tanto, Mãe, eu aos poucos vou aprendendo a lidar com a dislexia e com a diferença. Tu ajudas-me a ser mais forte e a ter as minhas próprias ferramentas. Confia.

Não te esgotes a tentar o impossível, Mãe. Tu estás ao meu lado mas não vives a minha vida nem me podes proteger de tudo. Eu vou estar preparado.

Não fiques ansiosa com os meus desafios, Mãe. Tu sabes que tens de estar atenta, mas que o voo é meu.

Não facilites na minha educação, Mãe. Sei que às vezes tens a tentação de me compensares por todo o meu esforço. É claro que como qualquer criança eu me aproveito disso. Por isso, Mãe, não hesites em pôr-me na ordem quando é preciso.

Não exijas de ti ser sempre forte, Mãe.Tu choras quando não aguentas mais. Isso não faz mal Mãe, somos humanos. Como disléxico eu sou especialista a lidar com a frustração. Eu entendo.

Não fiques irritada com os comentários dos meus amigos na escola, Mãe. Tu nunca desistes de sensibilizar as outros para a dislexia. Um dias eles vão perceber.

A dislexia não me define, Mãe!
O que eu quero mesmo é que sejas uma mãe querida, alegre e leve. Neste caminho é o equilíbrio que temos de encontrar. É isso que fará de mim a criança feliz de hoje e o adulto de sucesso de amanhã.

Feliz dia da Mãe a todas as mães, e um beijinho especial para ti Mãe.

O teu filho disléxico

PS- Neste dia tão especial, um enorme beijinho às minhas três filhas que eu adoro, à minha Mãe pela exemplo que sempre foi para mim,e às minhas queridas quatro avós.

Patrícia Teixeira de Abreu

Vivo a vida com intensidade e acredito que a dislexia pode ser uma oportunidade única de crescimento para uma família de miúdas com garra.

Artigos Relacionados

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *

×