Frios na barriga

Frios na barriga

O quê que esta fotografia tem a ver com a dislexia? Tudo.

Descobri no outro dia que uma das minhas escritoras preferidas – a Isabel Stilwell é disléxica. Adoro os livros sobre os Reis e Rainhas de outros tempos,faz-me entrar numa espécie de viagem do tempo, por isso pensei que se encomendasse o seu livro novo de D.Manuel I garantidamente a minha motivação aumentaria. Recebi o livro e senti-me uma criança com o seu brinquedo novo. Fiquei tão contente que lhe escrevi a convida-la para uma entrevista no blog.Fiquei ainda mais contente porque a Isabel respondeu que sim!

Esta semana foi uma semana cheia de frios na barriga (já tinha saudades!). Começou com uma conversa super interessante sobre a dislexia com a Isabel Stilwell- onde a Isabel partilhou a sua experiência não só como disléxica mas também como mãe de um filho disléxico, numa conversa muito inspiradora e que me confirmou a ideia que há um longo caminho a percorrer na sensibilização para a dislexia. Acabei a semana com a candidatura a um projecto que adorava fazer com as escolas. Pelo meio ficaram mais umas ideias giras para avançar no blog – para isso muito contribuiu o feedback de muitos pais no blog sobre o que sentem que lhes faz mais falta para ajudarem os seus filhos.Obrigada a todos pela ajuda!

Entretanto faltam 5 dias ( sim 5!) para acabarem as aulas. O balanço destes últimos meses de aprendizagem da Francisca foi muito positivo, mas até que enfim que estão a chegar as merecidas férias! Sabemos que vamos ter de continuar a trabalhar diariamente, mas será garantidamente mais leve para as duas.

Neste final de ano atípico, é mais que justa uma  homenagem  a todos os professores, que fizeram um trabalho fantástico com as condições que tinham, que se reinventaram, que se habituaram as novas tecnologias e que deram o seu melhor e que nem sempre foram compreendidos por pais cansados, ansiosos e assustados com uma realidade diferente provocada por uma pandemia inesperada.

Os professores têm o poder incrível de fazer a diferença no sucesso das crianças e principalmente das crianças disléxicas. Na entrevista que vou partilhar muito em breve, a Isabel conta que o que mais a marcou na dislexia foi a relação com a professora na sala de aula.

É por isso que não vou desistir da sensibilização da dislexia, seja nas escolas, nas empresas ou nas famílias, Quanto maior for o conhecimento sobre o tema mais leve e feliz será a vida destas crianças. O preço da nossa ignorância pode deixar uma marca para toda a vida.

PS- Por último, um agradecimento especial às professoras da Francisca que tanto contribuem para que ela tenha uma experiência de aprendizagem positiva, não diminuindo o grau de exigência mas ajudando a encontrar ferramentas para que consiga ultrapassar as dificuldades. O meu sincero obrigada. Somos umas sortudas!

Patrícia Teixeira de Abreu

Vivo a vida com intensidade e acredito que a dislexia pode ser uma oportunidade única de crescimento para uma família de miúdas com garra.

Artigos Relacionados

Desligar

Desligar

Julho 01, 2020
Chegámos à Meta!

Chegámos à Meta!

Junho 28, 2020

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *

×