Esta semana falhei redondamente com a Francisca…

Esta semana falhei redondamente com a Francisca…

Sou só eu, ou estas semanas são infindáveis e altamente cansativas? Por aqui a semana começou em festa, mas sinceramente já nem me lembro. Só sei que estes dias todos iguais de muito trabalho, o confinamento sufocante e 3 crianças em casa 24 horas sob 24 horas me deixam exausta, irritada e com muito pouca paciência.

Esta semana falhei com a Francisca. Falhei porque entre os meus dias sem respirar não planeei bem as actividades de estudo dela. E o resultado é que ao final do dia a minha dose de paciência era quase zero. E é injusto para ela, que refila sempre, mas depois até faz os trabalhos com atitude.

Só que esta semana eu não estava inspirada. E fechei o livro bruscamente, depois de ter explicado umas dez vezes como é que se transformavam fracções em equivalentes. Disse simplesmente, como quem de repente desligasse a pilha : “eu não sei explicar-te melhor que isto, amanhã a professora explica-te”. Às vezes o sentimento de frustração é avassalador, e o cansaço simplesmente ganha.

Ela veio ter comigo de lágrimas nos olhos e disse-me: “As vezes eu não consigo mãe. Eu tento, eu tenho atitude mas não consigo”. Eu senti-me a pior mãe do mundo. E acrescentou “A pessoa que melhor me ensina és tu Mãe. Contigo eu aprendo e não me esqueço. Se tu não me ensinares com truques a professora também não vai conseguir.“ – abracei-a infinitamente triste e prometi que no fim de semana arrasávamos as fracções .

Não lhe disse que no fim de semana para além das fracções vamos ter de arranjar uma estratégia para aprender a diferença dos determinantes e pronomes, as dinastias , as contas de dividir e etc… enfim temos de compensar a semana em que a mãe não conseguiu ter o espaço mental necessário para a ensinar como deve ser.

Partilho isto aqui, porque cá em casa também há dias maus e semanas péssimas e nada cor de rosa.

Entretanto na sexta feira depois de mais um dia infinito escrevemos as duas o nossa lista de objectivos para a semana seguinte, e para garantir que aquilo que realmente é importante está na nossa agenda.

Eu expliquei-lhe que era muito importante termos os objectivos escritos porque ficavam mais fortes e a nossa cabeça tem um filtro (como se fosse o passador do leite) que retém os nossos objectivos escritos de forma positiva e que nos ajuda, mesmo sem nos apercebermos a não desistirmos do que queremos.

Ela ouviu pacientemente disse-me entusiasmada: “ Sabes mãe eu adoro os nossos momentos a duas, mesmo que seja a fazer coisas de crescidos como escrever objectivos”.

Keep it simple:

1- Ligar aos primos
2- Brincar com a mãe pelo menos 2x por semana
3- Estudar com atitude
….
10- Lembrar a mãe para me cortar a franja

PS- Ninguém gosta de falhar, muito menos com os filhos, mas inevitavelmente faz parte do caminho. Não tenhamos ilusões.

PS2 – Não é que isto melhore o meu sentimento de falha, mas arrasámos nas fracções este fim de semana! Com quê? Com smarties coloridas!

Patrícia Teixeira de Abreu

Vivo a vida com intensidade e acredito que a dislexia pode ser uma oportunidade única de crescimento para uma família de miúdas com garra.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *

Sobre

About Me
Determinada, entusiasta e enérgica gosto de sentir que crio valor. Desafios que envolvam comunicação, liderança e criatividade são para mim! Gosto do frio da barriga de novos começos. A monotonia aborrece-me e a paciência não é propriamente o meu forte...

Continuar a ler

Dislexia dia a dia

Contactos

Parceiros

×