Quando não apetece nada, mas mesmo nada, trabalhar!

Quando não apetece nada, mas mesmo nada, trabalhar!

Enquadramento:
Hoje é terça feira e cheguei a casa tarde.
Quando cheguei ainda tive uma reunião sobre dislexia que acabou tarde. Seguiu-se o jantar e afins.

Factos:
Vontade de estudar às 9 da noite: zero;
Peso da consciência 100%;
Teste de inglês: sexta-feira.

Estratégia:
Adoramos ver o “Alvim e os esquilos” as duas na minha cama antes de dormir. Entretanto a avó (que foi professora de inglês) mandou umas fichas sobre as partes da casa bem giras para fazermos. Como são apelativas e dão para pintar a resistência é pequena. Fiz uma proposta: “Estou super cansada e tu sem paciência, vamos tornar isto divertido?”
Fizemos as fichas e “alvinámos” a seguir. Zero fitas, zero irritações.

Moral da história: sabemos que trabalhar todos os dias não é uma escolha, mas a forma como o fazemos só depende de nós. Eu e a Francisca escolhemos tornar o trabalho leve. Ser leve não é ser menos exigente. Ser leve é procurar a parte boa das coisas e aproveitar a proximidade que a dislexia nos traz.

Patrícia Teixeira de Abreu

Vivo a vida com intensidade e acredito que a dislexia pode ser uma oportunidade única de crescimento para uma família de miúdas com garra.

Artigos Relacionados

2 Comentários

    Avatar

    Luísa Ramos de Carvalho

    20th Abr 2022 - 11:40

    Que bom para as duas! Beijinho

      Patrícia Teixeira de Abreu

      Patrícia Teixeira de Abreu

      15th Mai 2022 - 18:29

      Grande beijinho Luísa!

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *

×