Matemática

Matemática

Às vezes há momentos assustadores neste caminho. Quando parece que finalmente podemos respirar de alívio, porque a leitura está claramente a evoluir, percebemos que os problemas de matemática serão o karma dos próximos tempos.

Quando a Francisca não tem a mínima noção se deve somar ou subtrair, quando de repente nem a tabuada do 2 está automática e faz as contas ao contrário é preciso respirar duas,três…vinte vezes.

Penso que a dislexia entrou na minha vida para levar a minha persistência e paciência ao limite.Também acredito que no final isso me vai tornar uma pessoa muito melhor, mas às vezes dou por mim com vontade de me aliar às birras dela. Não queria mesmo nada que isto fosse assim,mas é.

Por isso, começámos a juntar ao trabalho diário uma ou duas contas de subtrair e problemas bem fáceis para treinar a elasticidade mental e trabalhar a auto-estima.
Keep going!

Patrícia Teixeira de Abreu

Vivo a vida com intensidade e acredito que a dislexia pode ser uma oportunidade única de crescimento para uma família de miúdas com garra.

2 Comentários

    Avatar

    Avô Fernando

    19th Abr 2020 - 12:16

    Que útil que é esta forma de aprender brincando. É certamente o modo de consolidar aprendizagens. Óptimas ideias para famílias com problemas idênticos. Bravo Família

      Patrícia Teixeira de Abreu

      Patrícia Teixeira de Abreu

      20th Abr 2020 - 21:09

      Obrigada Avô Fernando!Um beijinho

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *

×