Mãe, não desistas de mim…

Mãe, não desistas de mim…

Depois de uma semana intensa, com a Bárbara atrás e um céu preto meio deprimente, nada melhor do que aproveitar um rasgo de sol para fazer a fotossíntese.

Vivo de sol, de praia, de areia, de água salgada que arrepanha a pele. Adoro. Na verdade põe-me nova. Com os números do Covid a subir, o medo de um novo confinamento, a adolescência meia parva das miúdas ou aproveito o que a vida me dá ou estou feita.

Que bom que a vida nos deu um rasgo de sol que permitiu a fotossíntese este fim de semana, e amigos dos bons com quem podemos dizer parvoíces e rir um bocado, porque foi mais uma semana desafiante.

A Francisca teve teste de inglês (felizmente só oral), e com ele as horas. E não há dúvida que isto trabalhou a minha empatia esta semana. Espalhámos relógios por todo o lado. Achei que ia ser básico “ half past seven, quarter past seven e quarter to eight”. Sim parece fácil. Só que não.

Inventámos parvoíces. Fui buscar o velho e peludo “Alf” para associar a “half”. E repetições até ao infinito. E é desesperante quando parece que já está quase e de repente zero. Tudo ao lado. Senti-me frustrada. Mas será que não tenho imaginação que chegue para ensinar a miúda?

A um dia do teste, numa ida para a escola em que íamos as duas: “Francisca 7.30, que horas são em inglês?”. Nada. Fiquei calada. Sem imaginação para mais nada, sem força sequer para dizer uma única palavra. E ela que sabe que não sou de silêncios, disse baixinho: “ Não desistas de mim mãe”

Eu parei o carro e dei-lhe uma abraço bem apertado.
– Claro que não desisto de ti Francisca. Nunca. Na verdade tomara muita gente ter a oportunidade de aprender o que aprendo contigo todos os dias, neste caminho com a dislexia.
– A sério mãe? – perguntou ela pouco convencida.
– Claro – disse eu com a certeza absoluta .

O teste correu muito bem. E no regresso a casa, com a mesma simplicidade da afirmação do dia anterior disse-me a propósito da nota “ Nós somos top, Mãe, nós somos mesmo top“.

PS- Para que conste a Madalena resolveu o tema com uma mnemónica básica: meia (hora) faz lembrar Estudo do Meio. E o livro de Estudo do Meio do ano passado era o Alfa lembras-te? O “a” caiu. Ficou alf. “Half” é meia, boa? Boa.(não quero nem pensar no teste escrito, por agora vamos aproveitar o rasgo de sol. Depois logo se vê…)

Patrícia Teixeira de Abreu

Vivo a vida com intensidade e acredito que a dislexia pode ser uma oportunidade única de crescimento para uma família de miúdas com garra.

4 Comentários

    Avatar

    Catarina Gil Mata

    25th Out 2020 - 17:06

    Cara Patrícia,
    Conheco-a desde que publicou a carta no público, já me sinto muito íntima de si. Porque já vivi quase tudo que partilha. Porque já sofri horrores , e em simultâneo, porque sou a mãe mais feliz do universo.
    Tenho o Gonçalo com 13 anos. Com uma deslexia super severa , a terapeuta dele, um destes dias falou-me em analfabetismo (fiquei muda durante dias). Depois de tanto trabalho, de tanto esforço, de tantas horas.
    Tenho tanto para partilhar, mas não a quero chatear e também não sei por onde começar. Infelizmente não tenho o dom da palavra na escrita (o Gonçalo não sai às pedras da rua ).

    O Gonçalo é o meu filho do meio, tem um irmão mais velho de 15 anos e uma irmã de 10 anos. É a criança mais meiga, mais atenta, mais doce e mais sensível que conheço.
    Tem imenso jeito para tudo que é engenhocas é sempre o meu braço direito para tudo. Está sempre disponível para ajudar e para solucionar problemas.
    Odeia a escola. A quarentena foi o momento mais feliz da vida dele. E eu senti que o estava a proteger. Protegi-o do medo da exposição e de alguns professores que só vêem o que o Gonçalo mostra, não vêem o que o Gonçalo é. O Gonçalo sempre lutou na escola para esconder as suas enormes dificuldades, desde o infantário. Neste momento tem uma munição de armas de subterfúgio incalculáveis. Prefere passar por mal criado e insurrecto do que por incapaz. Não é fácil explicar.

    Isto tudo para lhe agradecer 🙏 a carta que publicou. Quando a li, demorei horas a digerir. Em cada frase os meus olhos enchiam-se de lágrimas, porque me revi e porque revi o meu filho em cada linha. Foi muito forte, mas foi muito, muito bom.
    Partilhei a sua carta com os professores e acredito que os ajude a compreender o meu Gonçalo.
    Partilhei com os irmãos que sofrem com o Gonçalo, mas ao mesmo tempo confundem a incapacidade com a teimosia, que também ficaram muito tocados e esclarecidos..
    Finalmente, enchi-me de coragem e li ao Gonçalo. Foi tão triste e tão lindo que não sei como lhe agradecer. O Gonçalo percebeu que não estava sozinho. O Gonçalo sentir-se compreendido. Chorou muito, mas pouco depois sentiu muita força para erguer a cabeça e entrar na escola.
    Bem haja.
    Estarei sempre disponível para si
    Um forte abraço

      Patrícia Teixeira de Abreu

      Patrícia Teixeira de Abreu

      25th Out 2020 - 21:19

      Boa noite Catarina,
      Obrigada pelo seu comentário que me comoveu.
      Fico mesmo muito contente que a carta que escrevi tenha ajudado o Gonçalo a sentir-se menos sozinho.
      Eles são mestres em esconderem as suas dificuldades, e às vezes a agressividade é o escudo que usam para que ninguém perceba como se sentem por dentro.
      Muito obrigada pela sua partilha.
      Um grande beijinho e conte comigo para o que precisar.
      Patrícia

    Avatar

    Ines Andrade Carvalho

    30th Out 2020 - 14:59

    Eu sou ines tenho 33 anos sou dislexia desde sempre no meu tempo de escola não era nada fácil não havia grandes conhecimentos do assunto como há agora . passei por descriminação na escola . Eu já tenho as minhas técnica querias como ja sou a bastantes anos se poder ajudar algum podem contar comiguo.

      Patrícia Teixeira de Abreu

      Patrícia Teixeira de Abreu

      31st Out 2020 - 23:11

      Olá Inês,
      Muito obrigada pela sua disponibilidade.
      Claro que sim, tudo o que puder partilhar ajuda imenso, de certeza!
      Um beijinho
      Patrícia

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *

Sobre

About Me
Determinada, entusiasta e enérgica gosto de sentir que crio valor. Desafios que envolvam comunicação, liderança e criatividade são para mim! Gosto do frio da barriga de novos começos. A monotonia aborrece-me e a paciência não é propriamente o meu forte...

Continuar a ler

Dislexia dia a dia

Contactos

Parceiros

×